quinta-feira, 31 de julho de 2014

ar-condicionado ou ar condicionado?

As locuções em geral não são escritas com hífen. É o que prescreve o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Locução é todo “conjunto de palavras que equivalem a um só vocábulo, por terem significado, conjunto próprio e função gramatical única”:

Locuções substantivas:

- copo de água
- pé de moleque
- camisa de vênus
- ponto e vírgula
- dia a dia
- condicionador de ar

Locuções adjetivas:

- de ouro
- cor de vinho
- à toa (qualidade de alguém)

Locuções adverbiais:

- à noite
- dia a dia
- à toa (modo de agir)

Ocorre, porém, que há várias exceções:

LOCUÇÕES

As locuções substantivas, formadas por dois substantivos entremeados por uma preposição, não são escritas com hífen, com as seguintes exceções:

1) Se a palavra formada designar espécie botânica ou zoológica:

- cana-de-açúcar
- cachorro-do-mato
- copo-de-leite.

2) São hifenizadas, por exceção, as seguintes locuções:

- água-de-colônia
- arco-da-velha
- pé-de-meia (dinheiro economizado)
- mais-que-perfeito
- cor-de-rosa

3) São hifenizadas as locuções em cujo interior há a eliminação da letra e da preposição deem combinação com substantivos e com o uso do apóstrofo

- estrela-d’alva
- galinha-d’angola
- caixa-d’água

4) Os vocábulos substantivais formados por duas palavras independentes não são locuções substantivas, e sim substantivos compostos. Estes são sempre hifenizados:

- porta-retratos
- quebra-molas
- ar-condicionado (o aparelho)
- ar-refrigerado (o aparelho)

Há exceções, como as seguintes:

- girassol
- pontapé
- mandachuva
- paraquedas
- paraquedista
- paraquedismo
- socioeconômico (Nenhum vocábulo iniciado por “socio-“ é hifenizado)
- audiovisual (Nenhum vocábulo iniciado por “audio-“ é hifenizado)
- videoaula (Nenhum vocábulo iniciado por “video-“ é hifenizado)

5) É hifenizada a palavra formada por elementos repetidos – dois ou mais – com ou sem alternância vocálica ou consonântica:

- lenga-lenga
- blá-blá-blá
- pingue-pongue
- fru-fru.
A única exceção é o substantivo “vaivém”.

5) É hifenizada a palavra formada por encadeamento vocabular e nas combinações históricas:

- A ponte Rio-Niterói
- A estrada Londrina-Maringá

6) É hifenizada a palavra que designe nomes próprios de lugares iniciados por grão ou grãou por verbo ou ainda se houver artigo entre os seus elementos:

- Grã-Bretanha
- Grão-Pará
- Passa-Quatro
- Baía de Todos-os-Santos
Além dos nomes Timor-Leste e Guiné-Bissau.

Obs.: Os demais nomes de lugares compostos escrevem-se sem hífen. Seus adjetivos, porém, são hifenizados:

- mato-grossense
- porto-alegrense
- serra-negrense
- belo-horizontino

7) Os vocábulos adjetivais formados por duas palavras independentes não são locuções adjetivas, e sim adjetivos compostos. Estes são sempre hifenizados:

- olhos azul-claros
- clínica médico-hospitalar
- acordo franco-germânico

PALAVRA ÁTONA

As palavras formadas por dois vocábulos em que o primeiro não tem “vida própria”, ou seja, sozinho não forma palavra, seguem regras próprias, que são as seguintes:

1) Se o primeiro vocábulo não formar palavra sozinho e terminar em vogal, só haverá hífen se o vocábulo seguinte  se iniciar pela mesma vogal ou por H; caso se inicie por R ou por S, essas letras se duplicam:

- anti-higiênico
- micro-ondas
- antiaéreo
- semiextensivo
- autorretrato
- minissaia

2) Se o primeiro vocábulo não formar palavra sozinho e terminar em consoante, só haverá hífen se o vocábulo seguinte   se iniciar pela mesma consoante, por H ou por R:

- inter-racial
- sub-humanidade
- sob-roda
- hipersensível
- subsolo
- sub-bibliotecário.

3) CO, RE, PRO, PRE, TRANS, AN, DES, IN
Com esses vocábulos (co-, re-, pro- (ô), pre- (ê), trans-, an-, des-, in-) nunca haverá hífen:

- coerdeiro
- coordenar
- reeducar
- reabilitar
- proótico
- preestabelecer
- transumano
- transexual
- anepático
- desumano
- inábil.

4) CIRCUM, PAN
Com esses vocábulos só haverá hífen se a palavra seguinte se iniciar por vogal, H, M ou N:

- circum-murado
- pan-americano
- circum-navegação

5) PÓS, PRÉ, PRÓ, EX, SEM, ALÉM, AQUÉM, RECÉM, VICE, GRÃ, GRÃO, SOTO, SOTA
Com esses vocábulos sempre haverá hífen:

- pós-parto
- pré-operatório
- pró-aborto
- ex-senador
- sem-vergonha
- além-mar
- aquém-túmulo
- recém-casado
- vice-presidente
- grã-duquesa
- grão-duque
- soto-capitão
- sota-piloto.

6) NÃO
As palavras iniciadas por não como prefixo não são hifenizadas:

- não fumante
- não agressão
- não alinhado

7) BEM
Com hífen se a palavra seguinte se iniciar por vogalH ou M. Pode, porém, ser hifenizado antes de outras consoantes também, portanto, ao usá-lo, recomenda-se o uso de um bom dicionário:

- bem-aventurado
- bem-humorado
- bem-nascido
- bem-disposto
- bem-vindo
- bem-querer e benquerer
- benfazer
- benfeito (adjetivo)
- bem feito (interjeição)
- benquisto

8) MAL
Com hífen se a palavra seguinte se iniciar por vogal, H ou L ou se formar nome de doença:

- mal-educado
- mal-humorado
- mal-limpo
- mal-bruto (lepra)
- mal-francês (sífilis)
- malquisto
- malcomportado.

Uma última observação: ar-condicionado, portanto, terá hífen quando formar um substantivo composto, ou seja, quando for o nome do aparelho, mas, se denominar o ar resfriado ou aquecido por meio do condicionador de ar não o terá: numa empresa, por exemplo, em que se queira que se mantenha a porta fechada por o ar ser condicionado pelo condicionador de ar, pode-se afixar um recado assim:

- Mantenha a porta fechada – ar condicionado.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Durma oito horas e se alimente bem.


Numa noite dessas, na novela das nove, uma personagem aconselhava sua filha, dizendo o seguinte:

- “Chega cedo, dorme oito horas, se alimenta bem, minha filha”.

Ela, ao dizer essas palavras, estava usando os verbos no chamado modo imperativo, utilizado para ordens, pedidos, apelos ou conselhos. O problema é que os verbos estão usados inadequadamente. Vejamos por quê:

O imperativo afirmativo é formado a partir de verbos no presente do indicativo e no presente do subjuntivo.
Do presente do indicativo (tempo identificado com a frase “todos os dias...”) provêm tu e vós, retirando-lhes a letra s; do presente do subjuntivo (tempo identificado com a frase “espero que...”) provêm você, nós e vocês.

O verbo chegar tem a seguinte conjugação no presente do indicativo:

- Todos os dias eu chego, tu chegas, ele chega, nós chegamos, vós chegais, eles chegam.

No presente do subjuntivo:

- Espero que eu chegue, tu chegues, ele chegue, nós cheguemos, vós chegueis, eles cheguem.

No imperativo afirmativo, tu e vós provêm do presente do indicativo, perdendo a letra s:

- Chega tu, chegai vós.

Você, nós e vocês, do presente do subjuntivo:

- Chegue você, cheguemos nós, cheguem vocês. 

O verbo “dormir” tem a seguinte conjugação:

- Presente do indicativo: durmo, dormes, dorme, dormimos, dormis (o “i” é a vogal mais forte), dormem.
- Presente do subjuntivo: durma, durmas, durma, durmamos, durmais, durmam.

- Imperativo afirmativo: dorme tu, durma você, durmamos nós, dormi (o “i” é a vogal mais forte) vós, durmam vocês.

O verbo alimentar-se tem a seguinte conjugação:

- Presente do indicativo: eu me alimento, tu te alimentas, ele se alimenta, nós nos alimentamos, vós vos alimentais, eles se alimentam.
- Presente do subjuntivo: que eu me alimente, tu te alimentes, ele se alimente, nós nos alimentemos, vós vos alimenteis, eles se alimentem.
- Imperativo afirmativo: alimenta-te tu, alimente-se você, alimentemo-nos nós, alimentai-vos vós, alimentem-se vocês.

Obs: Os verbos terminados em -mos seguidos de nos perdem a letra s, por isso o certo é alimentemo-nos.

Posto isso, concluímos que a frase dita pela personagem pode ser construída de duas maneiras diferentes:

1ª: Referindo-se à segunda pessoa do singular (tu):

- Chega cedo, dorme oito horas, alimenta-te bem, minha filha.

2ª: Referindo-se à terceira pessoa do singular (você):

- Chegue cedo, durma oito horas, alimente-se bem, minha filha.

Como a referida personagem trata sua filha de “você”, a frase elaborada por ela deveria ser a segunda:

- Chegue, cedo, durma oito horas, alimente-se bem, minha filha.

Em tempo, se o imperativo for negativo, será conjugado como o presente do subjuntivo:

- Não chegues tu, não chegue você, não cheguemos nós, não chegueis vós, não cheguem vocês.
- Não durmas, não durma, não durmamos, não durmais, não durmam.
- Não te alimentes, não se alimente, não nos alimentemos, não vos alimenteis, não se alimentem.

Se a frase fosse construída no imperativo negativo, teríamos o seguinte:

1ª: Tu = Não chegues cedo, não durmas oito horas, não te alimentes bem, minha filha.
2ª: Você = Não chegue cedo, não durma oito horas, não se alimente bem, minha filha.

O segredo é pensar bem antes de construir uma frase em que haja ordem, pedido ou conselho. Falar bem é uma virtude que todos deveriam procurar ter. Veja mais exemplos de imperativo:

- Mande-me seu endereço o mais rápido possível. (Certa; poderia também ser Manda-me (tu) teu endereço....)
- Sente-se, que irei chamar seu pai. (Certa; poderia também ser Senta-te (tu), que irei chamar teu pai)
- Não me deixa, por favor!  Eu te amo muito. (Errada; o certo é Não me deixe (você), por favor! Eu a amo muito ou Não me deixes (tu), por favor! Eu te amo muito)
- Presta atenção à aula, menino, senão não aprenderá nada. (Errada; o certo é Presta atenção (tu) à aula, menino, senão não aprenderás nada ou Preste atenção (você) à aula, menino, senão não aprenderá nada)
- Já lhe disse várias vezes: Cala a boca! (Errada; o certo é Já lhe disse várias vezes: Cale a boca! ou Já te disse várias vezes: Cala a boca (tu)!)
- Vem pra cá, Charlene. Você não se arrependerá. (Errada; o certo é Venha para cá, Charlene. Você não se arrependerá ou Vem para cá, Charlene. Tu não te arrependerás)
- Não me faça ficar te esperando muito tempo! (Errada; o certo é Não me faças (tu) ficar esperando-te muito tempo ou Não me faça (você) ficar esperando-a muito tempo)
- Controle-se. Cuide de seu colesterol. (Certa; poderia também ser Controla-te (tu). Cuida de teu colesterol)