sábado, 7 de março de 2009

Iode, vau, diérese e sinérese

Encontro vocálico o agrupamento de vogais e semivogais. Há três tipos de encontros vocálicos:

Hiato = É o agrupamento de duas vogais, cada uma em uma sílaba diferente.

Lu-a-na, a-fi-a-do, pi-a-da

Ditongo = É o agrupamento de uma vogal e uma semivogal, em uma mesma sílaba. Quando a vogal estiver antes da semivogal, chamaremos de Ditongo Decrescente, e, quando a vogal estiver depois da semivogal, de Ditongo Crescente. Chamaremos ainda de oral e nasal, conforme ocorrer a saída do ar pelas narinas ou pela boca.

Cai-xa = Ditongo decrescente oral.

Cin-quen-ta = Ditongo crescente nasal, com a ocorrência do Ressoo Nasal.

Tritongo = É o agrupamento de uma vogal e duas semivogais. Também pode ser oral ou nasal.

A-guei = Tritongo oral.

Á-guem = Tritongo nasal, com a ocorrência da semivogal m.

Além desse três, há outros encontros vocálicos importantes:

O agrupamento de uma semivogal entre duas vogais. São os grupos aia, eia, oia, uia, aie, eie, oie, uie, aio, eio, oio, uio, uiu, em qualquer lugar da palavra - começo, meio ou fim. Denominam-se esses encontros de iode. Eis alguns exemplos de iode:

praia, ideia, joia, imbuia, arreio, arroio, balaio, feio, tuiuiú.

Foneticamente, ocorre duplo ditongo ou tritongo + ditongo, conforme o número de semivogais.

Representa-se o som de i com duplo Y: ay-ya, ey-ya, representando o "y-y" um fonema apenas, e não dois como parece. A pronúncia do i é contínua em ambas as sílabas, sem o silêncio que caracteriza a mudança de sílaba.

A palavra vaia, então, tem quatro letras (v - a - i - a) e quatro fonemas (/v/ /a/ /y/ /a/), sendo que o "y" pertence às duas sílabas, não havendo, no entanto, silêncio entre as duas no momento de pronunciar a palavra. Foneticamente, há, então, dois ditongos: ay e ya. Já em sequóia, há um tritongo (woy) e um ditongo (ya).

Na separação silábica, o i ficará na sílaba anterior: prai-a, mei-
a, joi-o, mai-o, fei-o, im-bui-a, tui-ui-ú.




O mesmo ocorre com a semivogal W: aua, aue, aui...

Pi-au-í = Representação fonética: Pi-aw-wi. Com o "w" ocorre o mesmo que ocorreu com o "y", ou seja, representa um fonema apenas e pertence a ambas as sílabas, não havendo o silêncio entre elas no momento de pronunciar a palavra. Denominam-se esses encontros de vau.


Ocorrem, também, na Língua Portuguesa, encontros vocálicos que ora são pronunciados como ditongo, ora como hiato. São eles:

Sinérese = São os agrupamentos ae, ao, ea, eo,
ia, ie, io, oa, oe, ua, ue, uo.

Ca-e-ta-no, Cae-ta-no; ge-a-da, gea-da; Na-tá-li-a, Na-tá-lia; du-e-lo, due-lo.

Diérese = São os agrupamentos ai, au, ei, eu, iu, oi, ui.

re-in-te-grar, rein-te-grar; re-u-nir, reu-nir; di-u-tur-no, diu-tur-no.


Obs.: Há palavras que, mesmo contendo esses agrupamentos não sofrem sinérese nem diérese. Há de ter bom senso, no momento de se separarem as sílabas. Nas palavras rua, tia, magoa, por exemplo, é claro que só há hiato.

15 comentários:

Unknown disse...

Iode!Bom,muito bom. Excelente este blog, adorei!

Professor,há algum post sobre combinações e contrações de Pron.Pess.Caso Oblíq.Atono?

Nossa, sempre tive dúvidas sobre isto.
Exemplo:
mo = me + o; ma =me +a ; mas = me + as;lha =lhe + a;no-las = nos +as/las(principalmente nestas com nos/vos)

Dílson Catarino disse...

Olá, Leonardo,
Em breve farei um post sobre esse assunto...

BULLYING- TODOS DIFERENTES-TODOS IGUAIS disse...

Em relação ao diérese e sinérese, é aceito tais separações em concurso, prova. ex.: sau-do-so ou sa-u-do-so. é considerado correto as duas separações?

Juliana disse...

Não tô entendento... em aguém, vc colocou que é um tritongo, por que o
"m" é semivogal. Mas o "m" nunca é semivogal, ele é consoante.

Dílson Catarino disse...

Não é "aguém", Juliana, é "águem", do verbo "aguar", que perdeu o trema.
Nem sempre a letra "m" será consoante: em final de palavra terminada em "am, e em" será semivogal. É o que acontece com "Que eles águem". O mesmo acontece com o "n" nas terminações "en".
A pronúncia é "ágwey", com o "e" nasal.

Unknown disse...

O nome Sônia é considerado uma sinérese?

Dílson Catarino disse...

Sim

Unknown disse...

Mas a palavra "psicologia" tem tanto a diérese como a sinérese? Mas, ditongos não são inseparáveis?

Unknown disse...

Então, quer dizer que a palavra " águem" recebe acento por ser paroxítona terminada em "ditongo"?

Unknown disse...

A palavra "secretária" e "secretaria". A primeira palavra tem duas formas(é facultativo) já a segunda tem uma forma só?

Dílson Catarino disse...

Exatamente. A primeira palavra pode ser assim dividida: se-cre-tá-ria ou se-cre-tá-ri-a. A segunda, somente se-cre-ta-ri-a.

Dílson Catarino disse...

Não. O vocábulo “águem” é terminado em tritongo.

Dílson Catarino disse...

Há palavras que, mesmo contendo esses agrupamentos não sofrem sinérese nem diérese. Há de ter bom senso, no momento de se separarem as sílabas. Nas palavras rua, tia, magoa, por exemplo, é claro que só há hiato.
O mesmo ocorre com psicologia: psi-co-lo-gi-a.

Unknown disse...

E recheio contém esses fenômenos?

Dílson Catarino disse...

Isso está explicado no texto, nesta parte:

O agrupamento de uma semivogal entre duas vogais. São os grupos aia, eia, oia, uia, aie, eie, oie, uie, aio, eio, oio, uio, uiu, em qualquer lugar da palavra - começo, meio ou fim. Denominam-se esses encontros de iode. Eis alguns exemplos de iode:

praia, ideia, joia, imbuia, arreio, arroio, balaio, feio, tuiuiú.

Foneticamente, ocorre duplo ditongo ou tritongo + ditongo, conforme o número de semivogais.

Representa-se o som de i com duplo Y: ay-ya, ey-ya, representando o "y-y" um fonema apenas, e não dois como parece. A pronúncia do i é contínua em ambas as sílabas, sem o silêncio que caracteriza a mudança de sílaba.