sábado, 7 de março de 2009

Iode, vau, diérese e sinérese

Encontro vocálico o agrupamento de vogais e semivogais. Há três tipos de encontros vocálicos:

Hiato = É o agrupamento de duas vogais, cada uma em uma sílaba diferente.

Lu-a-na, a-fi-a-do, pi-a-da

Ditongo = É o agrupamento de uma vogal e uma semivogal, em uma mesma sílaba. Quando a vogal estiver antes da semivogal, chamaremos de Ditongo Decrescente, e, quando a vogal estiver depois da semivogal, de Ditongo Crescente. Chamaremos ainda de oral e nasal, conforme ocorrer a saída do ar pelas narinas ou pela boca.

Cai-xa = Ditongo decrescente oral.

Cin-quen-ta = Ditongo crescente nasal, com a ocorrência do Ressoo Nasal.

Tritongo = É o agrupamento de uma vogal e duas semivogais. Também pode ser oral ou nasal.

A-guei = Tritongo oral.

Á-guem = Tritongo nasal, com a ocorrência da semivogal m.

Além desse três, há outros encontros vocálicos importantes:

O agrupamento de uma semivogal entre duas vogais. São os grupos aia, eia, oia, uia, aie, eie, oie, uie, aio, eio, oio, uio, uiu, em qualquer lugar da palavra - começo, meio ou fim. Denominam-se esses encontros de iode. Eis alguns exemplos de iode:

praia, ideia, joia, imbuia, arreio, arroio, balaio, feio, tuiuiú.

Foneticamente, ocorre duplo ditongo ou tritongo + ditongo, conforme o número de semivogais.

Representa-se o som de i com duplo Y: ay-ya, ey-ya, representando o "y-y" um fonema apenas, e não dois como parece. A pronúncia do i é contínua em ambas as sílabas, sem o silêncio que caracteriza a mudança de sílaba.

A palavra vaia, então, tem quatro letras (v - a - i - a) e quatro fonemas (/v/ /a/ /y/ /a/), sendo que o "y" pertence às duas sílabas, não havendo, no entanto, silêncio entre as duas no momento de pronunciar a palavra. Foneticamente, há, então, dois ditongos: ay e ya. Já em sequóia, há um tritongo (woy) e um ditongo (ya).

Na separação silábica, o i ficará na sílaba anterior: prai-a, mei-
a, joi-o, mai-o, fei-o, im-bui-a, tui-ui-ú.




O mesmo ocorre com a semivogal W: aua, aue, aui...

Pi-au-í = Representação fonética: Pi-aw-wi. Com o "w" ocorre o mesmo que ocorreu com o "y", ou seja, representa um fonema apenas e pertence a ambas as sílabas, não havendo o silêncio entre elas no momento de pronunciar a palavra. Denominam-se esses encontros de vau.


Ocorrem, também, na Língua Portuguesa, encontros vocálicos que ora são pronunciados como ditongo, ora como hiato. São eles:

Sinérese = São os agrupamentos ae, ao, ea, eo,
ia, ie, io, oa, oe, ua, ue, uo.

Ca-e-ta-no, Cae-ta-no; ge-a-da, gea-da; Na-tá-li-a, Na-tá-lia; du-e-lo, due-lo.

Diérese = São os agrupamentos ai, au, ei, eu, iu, oi, ui.

re-in-te-grar, rein-te-grar; re-u-nir, reu-nir; di-u-tur-no, diu-tur-no.


Obs.: Há palavras que, mesmo contendo esses agrupamentos não sofrem sinérese nem diérese. Há de ter bom senso, no momento de se separarem as sílabas. Nas palavras rua, tia, magoa, por exemplo, é claro que só há hiato.

5 comentários:

Leonardo disse...

Iode!Bom,muito bom. Excelente este blog, adorei!

Professor,há algum post sobre combinações e contrações de Pron.Pess.Caso Oblíq.Atono?

Nossa, sempre tive dúvidas sobre isto.
Exemplo:
mo = me + o; ma =me +a ; mas = me + as;lha =lhe + a;no-las = nos +as/las(principalmente nestas com nos/vos)

Dílson Catarino disse...

Olá, Leonardo,
Em breve farei um post sobre esse assunto...

TIA disse...

Em relação ao diérese e sinérese, é aceito tais separações em concurso, prova. ex.: sau-do-so ou sa-u-do-so. é considerado correto as duas separações?

Juliana disse...

Não tô entendento... em aguém, vc colocou que é um tritongo, por que o
"m" é semivogal. Mas o "m" nunca é semivogal, ele é consoante.

Dílson Catarino disse...

Não é "aguém", Juliana, é "águem", do verbo "aguar", que perdeu o trema.
Nem sempre a letra "m" será consoante: em final de palavra terminada em "am, e em" será semivogal. É o que acontece com "Que eles águem". O mesmo acontece com o "n" nas terminações "en".
A pronúncia é "ágwey", com o "e" nasal.