sábado, 8 de novembro de 2008

Sujeito x Objeto direto

Na voz ativa, o sujeito é o termo que pratica a ação. O que a sofre é o objeto direto. Por exemplo:

- Os alunos estudaram a matéria.

Sujeito simples agente: os alunos;
Verbo transitivo direto: estudaram (Quem estuda, estuda algo);
Objeto direto: a matéria.
----------------------
Na voz passiva, o sujeito é o termo que sofre a ação. O que a pratica é o agente da passiva. Por exemplo:

- A matéria foi estudada pelos alunos.

Sujeito simples paciente: a matéria;
Locução verbal passiva: foi estudada;
Agente da passiva: pelos alunos.
-------------------
Há duas maneiras de se formar a voz passiva:

1- Voz passiva analítica: formada pelos seguintes termos:
sujeito paciente;
locução verbal passiva: verbo ser + particípio de VTD;
agente da passiva: iniciado pela preposição por ou de.
P. ex.:

- O jogador será apresentado pela diretoria do clube amanhã.
sujeito paciente: o jogador
locução verbal passiva: será apresentado
agente da passiva: pela diretoria do clube


2- Voz passiva sintética: formada pelos seguintes termos:
Verbo transitivo direto;
Partícula apassivadora (é o pronome se)
Sujeito paciente (era o objeto direto na voz passiva).
O verbo tem de concordar com o sujeito paciente.
P. ex.:

- Comprou-se muita coisa inútil.
Verbo transitivo direto: comprou (Quem compra, compra algo)
Partícula apassivadora: se
Sujeito paciente: muita coisa inútil

A passiva sintética pode ser transformada em passiva analítica:
- Muita coisa inútil foi comprada.

- Compraram-se muitas coisas inúteis.
Verbo transitivo direto: compraram (Quem compra, compra algo) – Verbo no plural, pois o sujeito está no plural.
Partícula apassivadora: se
Sujeito paciente: muitas coisas inúteis

A passiva sintética pode ser transformada em passiva analítica:
- Muitas coisas inúteis foram compradas.
--------------------

Analisemos as frases seguintes:

Não se sabe se ele disse a verdade ou não.

Verbo transitivo direto: sabe (Quem sabe, sabe algo) – Verbo no singular, pois o sujeito está no singular.
Partícula apassivadora: se
Sujeito paciente: se ele disse a verdade. É uma oração que exerce a função de sujeito, denominada de oração subordinada substantiva subjetiva. Quando houver tal oração, o outro verbo tem de ficar no singular.

Espera-se que ele chegue a tempo.
Verbo transitivo direto: espera (Quem espera, espera algo) – Verbo no singular, pois o sujeito está no singular.
Partícula apassivadora: se
Sujeito paciente: que ele chegue a tempo. Oração subordinada substantiva subjetiva. Quando houver tal oração, o outro verbo tem de ficar no singular.

A torcida sentia que era chegada a hora de substituir o atacante.

Não há o pronome se nem o verbo ser. A oração, portanto, não está na voz passiva, e sim na ativa.
Sujeito simples agente: a torcida;
Verbo transitivo direto: sentia (Quem sente, sente algo);
Objeto direto: que era chegada a hora... . É uma oração, denominada de oração subordinada substantiva objetiva direta.

Via-se que o deputado era corrupto.

Verbo transitivo direto: via (Quem vê, vê algo) – Verbo no singular, pois o sujeito está no singular.
Partícula apassivadora: se
Sujeito paciente: que o deputado era corrupto. Oração subordinada substantiva subjetiva. Quando houver tal oração, o outro verbo tem de ficar no singular.

4 comentários:

Paulinho.TDB disse...

Analise as construções do texto.

Fabricantes multinacionais de alimentos infantis anunciam e vendem no Brasil produtos menos saudáveis do os comercializados na Europa e nos Estados Unidos. visando as crianças, as companhias adotam aqui publicidade mais permissivadoque as nações mais ricas. Essas são algumas das conclusões de pesquisa realizada em parceria realizada pelo Instituto Alana e o Instituto Brasileiro de Defesa do consumidor entre janeiro e fevereiro deste ano e divulgada para pressionar o governo federala adotar restrições para publicidade de alimentos infantis.
Entre dez companhias que fizeram Publicidade em sites e durante a programação infantil na TV ao longo do período analisado nove adotam "duplo padrão de conduta". Isto é: produtos e anúncios feitos para o Brasil jamais poderiam ser veiculados la fora, segundo a auto-regulamentação que as empresas adotam nos Estados Unidos e na Europa, por exempl. O Brasil discute desde 2006 uma regulamentação específica sobre publicidade de alimentos industrializados e limites para quantidades de açúcar , gorduras e sódio.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sugeriu em consulta pública, por exemplo, que alimentos com excesso de açúcar são aqueles com 15g/100g ou 7,5 g por ml ou mais. No caso de gordura saturada, os alimentos com excesso são aqueles com 5 g ou mais da substância por 100 g ou 2,5 g por 100 ml. Os padrões da Anvisa foram usados também para a pesquisa, mas as ONGs que organizaram o estudo tomaram como referenciais principalmente as composições nutricionias e as regras para anúcis de acordo com a organização Mundial da Saúde e regulamentação nos EUA e Europa.

Analise as construções.

I) que fizeram publicidade em sites (2º parágrafo)
II) que as empresas adotam nos Estados Unidos (2º parágrafo)
III) que organizaram o estudo (3º parágrafo)

A palavra "que" retoma um antecedente

a) em I, II, III.
b) apenas em I.
c) apenas em II.
d) apenas em III.
e) apenas em I e II.

Minha dúvida seria se existe alternativa certa neste exercício?
Quem responder se puder explicar a resposta certa ou se existe, ficaria muito grato.

Maysa disse...

Carta à Minha escola.
Minha querida EPCAR,
Já és uma senhora. Uma balzaquiana cheia de vida, de
esperanças e de sonhos nao sonhados, uma senhora
responsável por centenas de jovens coracões pulsando
vibrantes, com o futuro correndo nas veias, e a paixão
5 estalando nos ossos.
Ah, mas não há uma noite que a saudade não se faça
presente, não há um de seus dias sempre iguais, em que a
solidão e a alma não estejam repletas de incertezas quanto
ao futuro. Como são bravos os teus filhos, tão cheios de
10 vontade, capazes de dar a vida que ainda nao tiveram para
honrar o teu nome! São filhos do sonho de voar, netos de
Ícaro, sobrinhos de Bartolomeu de Gusmão, herdeiros de
Santos Dumont.
Ah, minha Senhora, já viste tantas coisas! Quantos
15 segredos ouviste e não contaste a ninguém. Quantos
amores teus já partiram sem que derramasses uma única
lágrima. Quantos meninos de olhos assustados
transformaste em homens de coragem incontestável na
arte de pilotar um avião ou enaltecer a vida civil. Quantos
20 destinos aqui se cruzaram. Quantos anos se passaram...
Em cada canto um nome, uma história para contar.
EPCAR, ninguém pode te explicar, nem tudo tem
explicações. Mas teu lema ecoa como um suspiro de
saudade no fundo do peito de cada um que já esteve em
25 teus braços e acalentaste com teu afago, e cada um, ainda
que por um momento, entendeu o "Nom multa sed
multum."
Há cinquenta e um anos vens moldando o caráter de
cidadãos brasileiros, ensinando-lhes a dignidade, a união, a
30 compaixão e a amizade. De Barbacena, dizes a todos que o
destino dos sonhadores ainda não foi escrito e que ela
continua azul... E, se hoje completas mais um ano de
existência, faze-o com a certeza de ter cumprido tua
missão, com a certeza de que amanhã, quando a corneta.
Queria ter certeza se essa questão pode se anulada. Me responda por favor.
06. Assinale a proposição INCORRETA quanto à pontuação do texto.
a) As vírgulas, nas linhas 11 e 12, assinalam uma enumeração de atributos do sujeito.
b) A vírgula, em “... ninguém pode te explicar, nem tudo tem explicações.” (. 22 e 23), foi utilizada para marcar a elipse de elemento coesivo explicativo.
c) A vírgula que antecede o conectivo “e”, na linha 4, é obrigatória de acordo com a norma padrão.
d) A vírgula, na linha 30, é necessária para isolar um termo sintático deslocado.

Dílson Catarino disse...

Paulinho,
Nos três períodos, o "que" retoma um elemento antecedente. Observe:
I- Quem fez publicidade foram as companhias. Este é o elemento antecedente retomado pelo "que": companhias.
II- As empresas adotam nos EUA a autorregulamentação. Este é o elemento retomado pelo "que": autorregulamentação.
III- Quem organizou o estudo foram as ONGs. Este é o elemento retomado pelo "que": ONGs.

Dílson Catarino disse...

Maysa,
O teste apresenta duas respostas possíveis:
Há erro na letra A, pois as vírgulas não assinalam uma enumeração de atributos do sujeito, e sim do predicativo do sujeito.
Há erro também na letra C, pois a vírgula não é obrigatória.