sexta-feira, 25 de julho de 2008

Maxivest II (de 49 a 58)

49- Em qual opção a forma verbal grifada não substitui adequadamente a do período I?

  • I - Economistas afirmaram que já foi descoberto o remédio para a inflação no Brasil.

    II- Economistas afirmaram já ter sido descoberto o remédio para a inflação no Brasil.

  • I- Não souberam ou não quiseram dizer para onde você tinha ido.

    II- Não souberam ou não quiseram dizer para onde você fora.

  • I- Eram passados já muitos anos, desde o acidente.

    II- Haviam passado já muitos anos, desde o acidente.

  • I- Honrarás a teu pai e a tua mãe.

    II- Honra a teu pai e a tua mãe.

  • I- Ao chegar à sua casa, o seu amigo já terá partido.

    II- Ao chegar à sua casa, o seu amigo já partirá.

As formas verbais terá partido e partirá não têm o mesmo sentido, pois terá partido indica ação anterior à ação de chegar, e partirá, ação posterior.

--------------------

50- A forma passiva correspondente ao enunciado Vi, no claro azul do céu, um papagaio de papel, alto e largo, é a seguinte:

  • O garoto viu, no claro azul do céu, um papagaio de papel, alto e largo.
  • Um papagaio de papel, alto e largo, estava sendo visto pelo menino, no claro azul do céu.
  • No claro azul do céu, era visto um papagaio de papel, alto e largo, por mim.
  • Alto e largo, um papagaio de papel foi visto por mim no claro azul do céu.
  • Foi visto pelo menino, no claro azul do céu, um papagaio de papel.

Os verbos transitivos diretos admitem transformação da voz ativa para a voz passiva, além de obedecer, pagar e perdoar, que não são VTDs.

Para passar uma oração da voz ativa para a voz passiva, procede-se da seguinte maneira:

- O objeto direto se transforma em sujeito da voz passiva;

- O VTD passa a ser o verbo principal de uma locução verbal cujo verbo auxiliar é o verbo ser (em alguns casos, estar). O verbo ser tem de ficar no mesmo tempo e modo do VTD da voz ativa, e o VTD, na voz passiva, fica no particípio.

- o sujeito se transforma em agente da passiva, sempre antecedido pela preposição por (em alguns casos, pela preposição de).

A frase apresentada tem a seguinte estrutura sintática:

Voz ativa: Vi, no claro azul do céu, um papagaio de papel, alto e largo

Sujeito: eu

VTD: vi (pretérito perfeito do indicativo)

OD: um papagaio de papel, alto e largo

Voz passiva: Um papagaio de papel, alto e largo, foi visto por mim, no claro azul do céu.

Obs.: A ordem dos termos pode ser qualquer outra:

Por mim, no claro azul do céu, um papagaio de papel foi visto, alto e largo.

Visto por mim um papagaio de papel foi no claro azul do céu, alto e largo.

-------------------

Nas questões de 51 a 53, assinale a opção cujo período apresente erro na sintaxe ou na morfologia das formas verbais:

51-

  • Se não provessem os estoques do governo com a necessária antecedência, dificuldades maiores adviriam na entressafra.
  • Se eles interporem um novo recurso contra a decisão dos diretos, é possível que seja aceita a argumentação que apresentaram.
  • Exige-se que as amostras não difiram significativamente do padrão oficial e que se expeça o respectivo laudo da fiscalização.
  • Por não se preverem as conseqüências do novo decreto, deixaram de ser tomadas medidas que contivessem o aumento de custos.
  • O governo não interveio nem pretende intervir no mercado, embora as informações se contradissessem.

- Prover (= abastecer): conjugação regular, como qualquer verbo terminado em –er (como modelo, conjugue-o como escrever), com exceção do presente do indicativo e do presente do subjuntivo, cuja conjugação segue a do verbo ver: Se não escrevessem = Se não provessem.

- Advir: derivado de vir. Tem, portanto, conjugação idêntica à de vir: Eles viriam = Eles adviriam.

- Interpor: derivado de pôr. Tem, portanto, conjugação idêntica à de pôr: Se eles puserem = Se eles interpuserem.

- Diferir: conjugação idêntica à do verbo preferir: Que eles prefiram = Que eles difiram.

- Expedir: conjugação idêntica à do verbo pedir: Que ele peça = Que ele expeça.

- Prever: derivado de ver. Tem, portanto, conjugação idêntica à de ver: Por não verem as condições = Por não se preverem as condições.

- Intervir: derivado de vir. Tem, portanto, conjugação idêntica à de vir: Ele não veio = O Governo não interveio.

----------------------

52-

  • Haviam, entre os meses de outubro e dezembro, ocorrido pancadas de chuva tão violentas que as estradas estavam em péssimas condições.
  • Se houver desistências, as vagas poderão ser preenchidas por candidatos sem habilitação legal.
  • Embora muitas dificuldades houvessem surgido, os trabalhos foram concluídos em tempo hábil.
  • Todas as opiniões que houvesse entre os participantes do encontro seriam debatidas democraticamente.
  • Ninguém sabe se vão haver ou não novas inscrições para o concurso anunciado há duas semanas.

O verbo haver é impessoal quando significar existir, acontecer ou ocorrer ou ainda quando indicar tempo decorrido. Nesses casos, fica obrigatoriamente na terceira pessoa do singular. Se formar locução verbal, o auxiliar também tem de ficar no singular.

Ninguém sabe se acontecerão novas inscrições = Ninguém sabe se haverá novas inscrições = Ninguém saber se vai haver novas inscrições.

--------------------

53-

  • É necessário que se intermedeiem os conflitos étnicos para que a paz seja preservada.
  • Segundo pressupuseram especialistas, novas bactérias, de extraordinária resistência, estão surgindo nos hospitais.
  • Ao não se aterem aos liames previstos para a pesquisa, corriam o risco de falsear os resultados.
  • Sem que se transgridam os modelos convencionais, os prejuízos jamais poderão ser reavidos.
  • Se não sobrevirem novos problemas, serão satisfeitas todas as exigências do contrato assinado.

- Intermediar: As formas rizotônicas (eu, tu, ele e eles do presente do indicativo e eu, tu, ele e eles do presente do subjuntivo) se conjugam como os verbos terminados em –ear. Por exemplo: passear: Que eles passeiem = Que se intermedeiem. O mesmo acontece com os verbos mediar, ansiar, remediar, incendiar e odiar.

- Pressupor: derivado de pôr. Tem, portanto, conjugação idêntica à de pôr: Eles puseram = eles pressupuseram.

- Ater: derivado de ter. Tem, portanto, conjugação idêntica à de ter: Ao terem = Ao se aterem.

- Transgredir: derivado de agredir. Tem, portanto, conjugação idêntica à de agredir: Que eles não se agridam = que transgridam.

- Sobrevir: derivado de vir. Tem, portanto, conjugação idêntica à de vir: Se não vierem = Se não sobrevierem.

--------------------

54- Em Se aceitas a comparação distinguirás..., se a forma aceitas for substituída por aceitasses, a forma distinguirás deverá ser alterada para:

  • vais distinguir
  • distinguindo
  • distingues
  • distinguirias
  • terás distinguido

A forma aceitasses está no pretérito imperfeito do subjuntivo. Este tempo forma período composto com o futuro do pretérito do indicativo, tempo estruturado com a desinência ria: Se aceitasses a comparação distinguirias.

---------------------

55- Quanto a mim, se vos disser que li o bilhete três ou quatro vezes, naquele dia, acreditai-o, que é verdade; se vos disser mais que o reli no dia seguinte, antes e depois do almoço, podeis crê-lo, é a realidade pura. Mas se vos disser a comoção que tive, duvidai um pouco da asserção, e não a aceiteis sem prova." Mudando o tratamento para a terceira pessoa do plural, as expressões sublinhadas passam a ser:

  • lhes disser; acreditem-no; podem crê-lo; duvidem; não a aceitem.
  • lhes disserem; acreditem-lo; podem crê-lo; duvidam; não a aceitem.
  • lhe disser; acreditam-no; podem crer-lhe; duvidam; não a aceitam.
  • lhe disserem; acreditem-no; possam crê-lo; duvidassem; não a aceites.
  • lhes disser; acreditem-o; podem crê-lo; duvidem; não lhe aceitem.

Tratamento para a terceira pessoa do plural é correspondente ao pronome de tratamento vocês.

- Se eu disser a vocês = Se lhes disser, pois Quem diz, diz algo a alguém. O verbo dizer é VTDI que exige a preposição a diante do objeto indireto. Este, portanto, tem de ser representado pelo pronome lhe(s). Como a mudança tem de ser realizada para vocês, o pronome tem de ser lhes.

- Acreditem-no, pois há um conselho, portanto o verbo acreditar está conjugado no modo imperativo, que, para a terceira pessoa do plural, provém do presente do subjuntivo: Espero que vocês acreditem. Quando a estrutura verbal de um verbo transitivo direto terminar em M, o pronome o, que funciona como objeto direto, se transforma em no. Os verbos acreditar, crer, precisar e necessitar tanto podem ser VTD como VTI. Na frase, acreditar está usado como VTD: Quem acredita, acredita algo.

- Podem crê-lo, pois o verbo poder está conjugado no presente do indicativo: eu posso, tu podes, ele pode, nós podemos, vós podeis, eles podem. Quando a estrutura verbal de um verbo transitivo direto terminar em R, o pronome o, que funciona como objeto direto, se transforma em lo. Os verbos acreditar, crer, precisar e necessitar tanto podem ser VTD como VTI. Na frase, crer está usado como VTD: Quem crê, crê algo.

- Duvidem, pois há um conselho, portanto o verbo duvidar está conjugado no modo imperativo, que, para a terceira pessoa do plural, provém do presente do subjuntivo: Espero que vocês duvidem.

- Não a aceitem, pois há um conselho, portanto o verbo aceitar está conjugado no modo imperativo, que, para a terceira pessoa do plural, provém do presente do subjuntivo: Espero que vocês aceitem. Deve-se usar o pronome a, e não lhe, por se tratar de um verbo transitivo direto: Quem aceita, aceita algo.

--------------------

56- "... e antes nunca houvesse aberto o bico..."; "Assim da tua vanglória há muitos que se ufanam." Nestas passagens, o verbo haver é, respectivamente:

  • auxiliar e auxiliar
  • auxiliar e impessoal
  • impessoal e impessoal
  • principal e auxiliar
  • principal e impessoal

Em houvesse aberto, o verbo haver é auxiliar de locução verbal; aberto é o principal.

Em há muitos, o verbo haver é impessoal, pois significa existir.

-------------------

57- A transformação passiva da frase "A religião te inspirou esse anúncio" apresentará o seguinte resultado:

  • Tu te inspiraste na religião para esse anúncio.
  • Esse anúncio inspirou-se na tua religião.
  • Tu foste inspirado pela religião nesse anúncio.
  • Esse anúncio te foi inspirado pela religião.
  • Tua religião foi inspirada nesse anúncio.

Os verbos transitivos diretos admitem transformação da voz ativa para a voz passiva, além de obedecer, pagar e perdoar, que não são VTDs.

Para passar uma oração da voz ativa para a voz passiva, procede-se da seguinte maneira:

- O objeto direto se transforma em sujeito da voz passiva;

- O VTD passa a ser o verbo principal de uma locução verbal cujo verbo auxiliar é o verbo ser (em alguns casos, estar). O verbo ser tem de ficar no mesmo tempo e modo do VTD da voz ativa, e o VTD, na voz passiva, fica no particípio.

- o sujeito se transforma em agente da passiva, sempre antecedido pela preposição por (em alguns casos, pela preposição de).

A frase apresentada tem a seguinte estrutura sintática:

Voz ativa: A religião te inspirou esse anúncio

Sujeito: A religião

VTDI: inspirou (pretérito perfeito do indicativo)

OD: esse anúncio

OI: te

O OI se mantém da mesma forma na transformação.

Voz passiva: Esse anúncio foi-te inspirado pela religião.

Obs.: A ordem dos termos pode ser qualquer outra:

Esse anúncio te foi inspirado pela religião.

Pela religião este anúncio te foi inspirado.

-------------------

58- "Ficam desde já excluídos os sonhadores, os que amem o mistério e procurem justamente esta ocasião de comprar um bilhete na loteria da vida." Se a primeira frase fosse volitiva, e o segundo e terceiro verbos grifados conotassem ação no plano da realidade, teríamos, respectivamente, as seguintes formas verbais:

  • fiquem, amassem, procurassem
  • ficavam, tenham amado, tenham procurado
  • ficariam, amariam, procurariam
  • fiquem, amam, procuram
  • ficariam, tivessem amado, tivessem procurado

Verbo volitivo é aquele que expressa a vontade do emissor, e isso é caracterizado por meio do modo imperativo.

O imperativo para a terceira pessoa do plural do verbo ficar é fiquem.

Ação no plano da realidade significa fato, e isso é representado pelo modo indicativo, por isso os verbos amar e procuram devem ser conjugados nesse modo: eles amam; eles procuram.

--------------

Um comentário:

claa disse...

muito bom mesmo ... me fez entender várias coisas que me deixavam confusa ... obrigada *__*