domingo, 13 de abril de 2008

Conjunção integrante

Dá-se o nome de conjunção integrante a cada uma das conjunções que iniciam as orações subordinadas com função sintática de sujeito, objeto direto ou indireto, predicativo, complemento nominal, ou aposto de outra oração (são elas: que, se). Veja alguns exemplos:

1) É preciso que os alunos estudem muito para conseguir a aprovação.

O princípio é o verbo. Há três verbos nesse período: ser, estudar e conseguir. Analisemos o verbo ser:

Ser sempre é verbo de ligação, a não ser que participe de uma locução verbal, o que não acontece no período apresentado.

Como ser é verbo de ligação, preciso é predicativo do sujeito, uma vez que todo verbo de ligação liga o sujeito ao seu predicativo, à sua qualidade.

Qual é, porém, o sujeito do verbo ser? Para descobrir, basta perguntar ao verbo Que é preciso? Resposta: que os alunos estudem muito...

O sujeito do verbo ser é uma oração, visto que há um verbo em seu interior, portanto o sujeito é denominado de oração subordinada substantiva subjetiva. Esta oração é encabeçada pelo vocábulo que, que é uma conjunção integrante.

2) Nunca se pergunta a um atleta da Irlanda se é católico ou protestante...

O princípio é o verbo. Há dois verbos: perguntar e ser. Analisemos o verbo perguntar:

Observe que perguntar está acompanhado do pronome se. Perguntar, na frase apresentada, é um verbo transitivo direto e indireto, pois quem pergunta, pergunta algo a alguém. Sempre que um verbo transitivo direto (ou transitivo direto e indireto) estiver acompanhado do pronome se, este será denominado de partícula apassivadora, e o objeto direto se transformará em sujeito. Qual é, porém, o objeto direto do verbo perguntar? É a oração se é católico ou protestante: Quem pergunta, pergunta algo; nunca se pergunta o quê? Resposta: “se é católico ou protestante”. Mais uma vez há uma oração subordinada substantiva subjetiva. Esta oração é encabeçada pelo vocábulo se, que é uma conjunção integrante.

21 comentários:

Hikari disse...

Eu tava procurando definição pra conjunção integrande e a sua foi a melhor, valeu!

selma disse...

A definição é excelente! obrigada mesmo.

gaby disse...

Nossa obrigada pela definição me ajudou bastante :D

Joane disse...

obrigada. Esta definição, me ajudou!

Quem Sabe ? disse...

se garantiu.
Valeu !

Victor disse...

Essa é nova. Agora nem mesmo quem se diz professor se dá ao trabalho, ou à honestidade, de citar fontes. A definição tão elogiada consta do Dicionário Houaiss v. 1.0.

Dílson Catarino disse...

Victor,
A definição não pertence ao Houaiss. Ela é "universal"; consta da Nomenclatura Gramatical Brasileira. Isso você encontra em quase todos os livros de Gramática, até porque não há outra definição para conjunção integrante. O mais importante não é a definição em si, mas sim os exemplos com os usos da conjunção.

jufahd disse...

Neste último exemplo como ficaria a voz passiva analítica?

Dílson Catarino disse...

Olá, Jufahd,
a analítica correspondente é "Nunca é perguntado a um atleta da Irlanda se é católico ou protestante".

FALCÃO disse...

vc é o cara !!!

Déia disse...

Agora sim, está gravado para sempre.
Parabéns!

Jean disse...

Muito obrigado! Vc esclareceu a minha dúvida.

Família disse...

como saber qual verbo analizar?

oi disse...

vlw ajudou muito!!

Blog da Gatinha disse...

Profº adoro seu blog. Por favor, gostaria que o senhor postasse algo sobre pronome clítico. Obrigada.

rafael disse...

excelente explicação!Com certeza voltarei ao blog para matar minhas dúvidas.

Fernando oliveira disse...

muito obrigado, a definição e os exemplos foram excelentes para o meu aprendizado...

Fernando oliveira disse...

muito obrigado a definição e os exemplos seram fundamental para o meu aprendizado...

miguxa.com disse...

sou muito grata com a sua ajuda.
me ajudou bastante na aula de português :)

Vinicius Sousa disse...

Obrigado, não estava achando em lugar nenhum, estou fazendo pesquisa e graça a essa postagem consegui terminar.

Juliane Oliveira disse...

Explicação bem clara e objetiva professor, obrigado ;)