segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Olhos de Teté


Há olhos lindos e tentadores,

meigos, tímidos, de muitas cores;


sensuais, chocantes, libidinosos,

lagos serenos, maravilhosos;


cristais brilhantes, cheios de fé,

mas nada como os olhos de Teté.

8 comentários:

Deia disse...

Que sorte tem Teté, de ter um eterno apaixonado ao lado dela, muito bonito suas palavras e os olhos então?
Lindo dia
Beijos professor.

Dionísio Alcântara disse...

Belíssima poesia. Os olhos de Teté são realmente lindos. A sorte não é dela, e sim do prof., por ter uma esposa tão linda com olhos tão belos.

Anônimo disse...

Queria saber escrever desse jeito.

Anônimo disse...

Dilza diz...
tornei-me fã do Dilso, devido a sua autenticidade e precisão, estarei sempre nesta pagina. estudante de Letras.

Anônimo disse...

Nooosa que poema autêntico e preciso,que personagem graciosa!!!

Anônimo disse...

Noosa quanta autenticidade e escrever um poema, apesar da personagem ser bastante graciosa.

Osvaldilza disse...

Quanta autenticidade heim?! Apesar da personagem ser bastante graciosa
voce foi preciso na rasgação de seda.

Anônimo disse...

pocha gostei muito do jeito que ecreve tocante busca o fundo das palavras bem interessante