quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Bata a porta com menos força!

Nós, brasileiros, elegemos algumas palavras como carrascos da ignorância. “Menos” é uma delas. Qualquer cidadão com um pouco de cultura sabe que o vocábulo “menas” não deve ser utilizado por ser inadequado ao padrão culto da língua. Quando alguém a utiliza perto de quem a conhece pode até ser vítima de "bullying intelectual", se é que isso existe! Ocorre, porém, que não é um erro tão crasso assim. Vejamos: “Menos” pode ser pronome indefinido, advérbio, substantivo ou preposição.

Será pronome indefinido quando indicar, segundo o dicionário Aurélio, “algo inferior em número ou em quantidade, em condição ou em posição” ou ainda “algo menor que outra coisa” e modificar substantivo. E é aqui que se apresenta o problema de concordância desse vocábulo. Os pronomes indefinidos em geral concordam com o elemento a que se referem. Por exemplo: “Algumas garotas”; “muitas garotas”; “nenhumas garotas” (Sim! “Nenhumas” no plural, como também ocorre com “nenhuns”); “tantas garotas”; “muitas garotas”; “poucas garotas”. O pronome indefinido “menos”, porém, é diferente, pois deve permanecer invariável: “Menos garotas”. Foge à lógica, pois, se todos os pronomes indefinidos devem concordar com o substantivo a que se referem, por que “menos”não? É uma exceção à regra, sem explicação lógica. É invariável porque é invariável, e acabou a conversa! De acordo com a gramática padrão, o pronome indefinido “menos” é invariável; só existe “menos”. “Menas” é considerado inadequado! Outros exemplos: “Havia menos pessoas hoje”; “Houve menos perdas de alimentos”; “Bata a porta com menos força”. Se quiser usar a Língua padrão, caro leitor, nunca fale “menas”! Se, porém, quiser usar a linguagem do dia a dia, solta, sem preocupações gramaticais, fique à vontade!


“Menos” será advérbio, segundo o Aurélio, quando significar “em número ou quantidade menor; com menos intensidade” e modificar verbo, adjetivo ou outro advérbio. Como é advérbio, ficará sempre invariável como ocorre com todos os advérbios: “Ela é menos estudiosa que a irmã”; “As orquídeas floriram menos este ano”.


“Menos” será preposição, também segundo o Aurélio, quando significar “à exceção de; exceto; salvo; fora”: “Todos se satisfizeram, menos Olavo”; “Ele tem tudo, menos paz”.


“Menos” será substantivo, ainda segundo o Aurélio, quando indicar “aquilo que tem a menor importância; o que é mínimo”: “O menos que lhe pode ocorrer é a demissão”.


Observe, incansável estudante, que o vocábulo “menos” que pode trazer problemas é o pronome indefinido. Ele é o único substituído inadequadamente por muitos brasileiros por “menas”. Lembre-se, então: se quiser usar a Língua Portuguesa padrão, nunca use “menas”.

2 comentários:

Jamilton Feitosa Jr. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jamilton Feitosa Jr. disse...

Meu professor de matemática do cursinho fala "menas",ainda bem que ele é formado em Matemática...
Ótimo artigo, achei interessante que "menos" pode atuar de várias formas.