terça-feira, 1 de julho de 2008

Pretérito imperfeito do indicativo

Na Língua Portuguesa, para se conjugar um verbo, basta saber três estruturas verbais:

  • A primeira pessoa do singular do presente do indicativo;
  • A terceira pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo;
  • O infinitivo.

O infinitivo é o próprio nome do verbo. Quem perguntar qual o infinitivo de tal verbo, acaba de dar a resposta: o infinitivo de cantar é cantar. A partir do infinitivo, forma-se o infinitivo flexionado e três tempos verbais: o pretérito imperfeito do indicativo, o futuro do presente e o futuro do pretérito.

Caracterizamos o pretérito imperfeito do indicativo por meio da expressão naquela época, todos os dias..., ou seja, quando se quiser conjugar um verbo nesse tempo, basta pensar nisso: Naquela época, todos os dias eu cantava. Aí está a base do pretérito imperfeito do indicativo dos verbos terminados em ar: é o radical do verbo seguido da desinência ava. Já os verbos terminados em er e em ir formam o pretérito imperfeito do indicativo com o radical acrescido da desinência ia. A essa estrutura, acrescentam-se, ainda, as seguintes desinências: s, para a segunda pessoa do singular, tu; mos para a primeira pessoa do plural, nós, que recebe acento na antepenúltima sílaba: estudávamos, vendíamos, partíamos; is para a segunda pessoa do plural, vós, que recebe acento na penúltima sílaba e tem a troca do último a por e: estudáveis, vendíeis, partíeis; m para a terceira pessoa do plural, eles.

Naquela época, todos os dias... 

desinência 

desinências

estud 

ava 

estud 

ava 

estud 

ava 

estud 

áva 

mos 

estud 

áve 

is 

estud 

ava 


 

Naquela época, todos os dias... 

desinência 

desinências

vend 

ia 

vend 

ia 

vend 

ia 

vend 

ía 

mos 

vend 

íe 

is 

vend 

ia 


 

Naquela época, todos os dias... 

desinência 

desinências

part 

ia  

part

ia 

part 

ia 

part 

ía  

mos 

part 

íe 

is 

part 

ia 

6 comentários:

Evilane disse...

Prof Dilson eu sou professora de Portugues e dou aula aqui na Italia.Gostei muito da sua explicaçao sobre o Imperfeito do indicativo.Foi de forma objetiva e muito clara.Obrigada.

janeglauce disse...

Adorei tua forma explicativa. Parabéns!!

vitoria disse...

oi prof dilson eu estava meio sem entender pq minhas prof nao explica direito as coisas,mas com as sua explicaçoes entendi tudo.parabens!!

quemtemouvidosparaouvir disse...

Professor, como posso usar o verbo "ir" no pretérito mais-que-perfeito!? Pode dar exemplos de "fora" e "foi"!?

Dilson Catarino disse...

O verbo "ir" tem a seguinte conjugação no pretérito perfeito do indicativo: eu fui, tu foste, ele foi, nós fomos, vós fostes, eles foram. Retirando-se a letra "m" dessa última forma verbal, há a base para o pretérito mais-que-perfeito do indicativo: fora. Unindo essa forma às desinência, formará a seguinte conjugação: eu fora, tu foras, ele fora, nós fôramos, vós fôreis, eles foram.

Geilza Bezerra Silva disse...

Obrigado por facilitar nossa vida em sala de aula. Muito boa explicação
Parabéns!