quinta-feira, 22 de maio de 2008

A travesti gravou com o celular imagens de Ronaldo...

Todo o mundo ouviu falar do imbróglio em que se envolveu o Fenômeno. Isso suscitou uma dúvida aos falantes da Língua Portuguesa: o certo é O travesti ou A travesti? Alguns veículos de informação optam pelo uso do substantivo masculino; outros, pelo uso do feminino. O que diz a Gramática? Vejamos a resposta:

Segundo os dicionários Aurélio e Houaiss, travesti é um substantivo de dois gêneros, ou seja, existem as duas opções: o travesti e a travesti.

Isso não quer dizer, porém, que se possam usar as duas para um mesmo ser. Substantivo de dois gêneros é aquele que tem uma só forma para os dois gêneros (masculino e feminino), e em que o determinante (artigo, adjetivo, numeral...) da palavra denota o sexo do ser a que se refere. É um substantivo a ser usado, portanto, para homens ou para mulheres; se o ser for homem, usa-se o gênero masculino (o, um...); se for mulher, o feminino (a, uma...).

Embora as pessoas com quem Ronaldo se envolveu na trapalhada apresentassem nomes e roupas femininos, elas (as pessoas) eram homens; seus nomes femininos eram falsos. A Andrea é o André. Trata-se, portanto, do sexo masculino. O substantivo a ser usado, então, tem de ser do gênero masculino: O travesti.

Segundo os dicionários, o substantivo de dois gêneros travesti tem dois significados:
1- Indivíduo que, geralmente em espetáculos teatrais, se traja com roupas do sexo oposto.
2- Homossexual que se veste e que se conduz como se fosse do sexo oposto.

A frase apresentada, portanto, deve ser assim reescrita:

O travesti gravou com o celular imagens de Ronaldo...


Quando se usa, então, A travesti?
- Quando uma mulher se trajar com roupas de homem em um espetáculo teatral;
- Quando uma mulher homossexual, além de se vestir como homem, conduzir-se como tal.


Quer dar sua opinião? Mande-me um e-mail.

3 comentários:

Catarino disse...

Vim visitar o amigo.
Achei muito boa a esplicação dada sobre o(a) travesti.
Abraço.

Anônimo disse...

Olá, professor Dilson. Como vai?
Seu site tem informações preciosas para professores e alunos. Parabéns. Não se cabe aqui uma dúvida sobre sintaxe mas lá vai: na frase "Fazia um calor imenso naquela tarde" como classifico "...um calor imesno..." e no caso a frase não tem sujeito, certo?
Grata e até mais.
Maria Isadora

Dílson Catarino disse...

Oração sem sujeito;
fazer é transitivo direto;
um calor imenso: objeto direto;
naquela tarde: adjunto adverbial de tempo