quarta-feira, 25 de outubro de 2006

Histórias Escolares 1

Houve um tempo em que, em todas as aulas, antes de iniciar a explicação da matéria, enquanto os alunos se acomodavam eu colocava uma palavra no cantinho do quadro, a fim de aprimorar o vocabulário deles. Quando todos estavam acomodados, eu perguntava a eles se alguém sabia o significado da palavra do dia; se houvesse algum aluno que o soubesse, perguntava-lhe se conseguiria estruturar uma frase com tal palavra, já que saber o significado até que não é difícil, mas saber usá-la no contexto adequado o é.

Numa manhã, entrei na sala, escrevi a palavra “exortar” no canto do quadro e me postei no tablado à espera dos alunos. Uma aluna veio até mim toda sorridente e me perguntou o significado de “exortar”. Respondi-lhe com toda tranqüilidade:

― “Animar”.

Nem tive tempo de falar o segundo significado: “estimular”; ela transmudou-se, olhou-me com raiva, fechou o semblante e me disse:

― Animar é o senhor, que fica xingando a gente.

E assim caminha a educação brasileira.

65 comentários:

valerie disse...

Graças a Deus esta não aconteceu na minha sala! hehehe
Mas concupsciência não vou esquecer jamais!

beijos Professor!

ilibado(Rodrigo) disse...

Professor esse texto levou-me a fazer uma introspecção, pois sempre gostei de aumentar o meu vocabulário lendo diversos dicionários. Certa vez um professor perguntou o significado da palavra "Defenestrar" e depois perguntou se alguém sabia o significado da mesma. Eu sabia e disse: atirar algo pela janela, em seguida, o professor
disse: muito bem dicionário ambulante poder ir embora, você está livre da prova surpresa.

Foi um fato inusitato e bastante hilário!!!

Professor o certo é:
Eu namoro com Vanessa ou
Eu namoro a Vanessa ou
Eu namoro Vanessa?.

ilibado (Rodrigo) disse...

Professor, o senhor poderia tirar algumas dúvidas quanto à abrangência do curso de letras e quais as áreas que um profissional graduado em letras pode atuar, além de, lecionar?

Desde já, obrigado por sua complacência, em consumar essas dúvidas que costumam assolar várias pessoas.

Dílson Catarino disse...

Além da habilitação específica para o magistério, a formação em Letras pode servir ainda de apoio para especializações em tradução, revisão de textos, crítica literária e redação jornalística, oferecendo também grandes oportunidades de trabalho nos meios de comunicação, na área de editoração ou em qualquer outro serviço que se relacione diretamente com as línguas portuguesa e inglesa.

Vinicius Reinato dos Santos disse...

Prof, tenho uma dúvida, um "~" "til" é uma acentuação gráfica?Um acento?
Caso não seja, como posso chamá-lo?

Dílson Catarino disse...

O til é um sinal diacrítico nasalizador. Diacrítico é um sinal gráfico que se acrescenta a uma letra para conferir-lhe novo valor fonético. Os sinais diacríticos da Língua Portuguesa são os acentos gráficos (agudo e circunflexo), a cedilha, o trema e o til.

Hugo disse...

Professor, dê um nobre conselho a um pobre sonhador, sonho este que é ser bacharel em direito, é válido, primeiramente eu fazer letras e logo em seguida ir em busca de meu ideal?
Ou tento sempre passar em direito, mesmo, não obtendo êxito em muitos vestibulares?.

Dílson Catarino disse...

Hugo. No escotismo, aprende-se que conselho não se dá, e sim faz-se aconselhamento. O ideal é que você pense sobre seu futuro e seus sonhos. Que você quer? Concretizar seus ideais? Terminar um curso qualquer? Ser advogado? Ser professor? Só você pode saber o que é melhor para a sua vida. Converse, porém, com as pessoas de sua convivência. Elas podem ajudá-lo a chegar a uma conclusão e decidir por si próprio.

Débora disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Fernando disse...

Professor, eu gostaria que o senhor me esclarecesse uma dúvida: O correto é dizer (ou escrever, melhor dizendo) "em minha opinião" ou "na minha opinião"?
Grato e parabéns pelo seu blog.
Ficaria honrado se o senhor também visitasse o meu. O endereço é http://fernandomelis.blogspot.com.

Fernando disse...

Professor.
Eu ficaria grato se o senhor pudesse me esclarecer uma dúvida: o correto é dizer "em minha opinião" ou "na minha opinião"?
Obrigado e meus parabéns pelo seu blog.
Fernando

Loraine disse...

"Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestidinho preto indefectível"

Nunca esqueço que aprendi com você qual o significado de indefectível na música!

Beijos

(te vi na uel, faz algumas semanas já, foi engraçado o seu 'tchau' com cara de 'quem é será?' HAUSHUASH)

André Bustamante Carretoni disse...

Professor,
Só tenho a agradecer. Não estudei consigo, mas descobri o seu site e estou tirando muito proveito de toda a parte gramatical.
Um grande abraço,
André B.Carretoni
www.carretoni.com

Matheus Gomes disse...

Ah, isto é verídico?
Que engraçado, além de pertubador.

Anônimo disse...

Parabéns pela iniciativa.

Rodrigo Vernáculo disse...

Professor eu indiquei o seu blog a um cunhado, o mesmo ficou maravilhado com a gama de conhecimento que é disseminado no seu site.
Uma dúvida, como devemos ponderar uma palavra, sabendo que esta possui ambigüidades?
Abraços e inpiração!!!

Susana Jas disse...

Professor,

Acessando a net procurando informações, deparei com seu blog.
Posso tirar uma dúvida ?
Eu, normalmente digo : mau tempo, mau humor, mau hábito. Mas, vejo muitas pessoas deixando comentários dessa forma: mal tempo, mal hábito, mal humor.

Gramaticalmente, qual a forma correta e por quê ?

Agradeço muito,

Susana Jas

Deia disse...

Inacreditável, heheheh
Numa sala de aula deve acontecer cada "coisa", rsss
Linda noite.

Dílson Catarino disse...

Mal é antônimo de bem; mau, de bom.
Bom tempo, bom hábito e bom humor são as formas adequadas. O certo, portanto, é mau tempo, mau hábito, mau humor

Breno disse...

Professor,
Gostaria de parabenizar-lhe pelo site "Gramática On-line". Sou estudante universitário e como muitos brasileiros não consegui aprender bem o portugês. Espero que seu site esteja sempre lá quando, no meio da madrugada, a dúvida chegar.
Muito Obrigado

Paulo Cesar Rasia disse...

Descobri seu Site Ha alguns meses, estou encantado com tantas informações uteis. Estou aprendendo a escrever redação, pois quem ler todas as dicas que tem no site e colocar em pratica estaá fazendo um curso completo de redação. Prabens!

Edna Feitosa disse...

Bom dia, Professor!

Ao mesmo tempo em que achei engraçado o desfecho de seu texto, também senti uma ponta de tristeza. Dureza, hein?!

Tenho alguns causos num dos links do meu site e o convido para lê-los, quando não estiver fazendo nadica:
http://ilove.terra.com.br/edna/causos/indice.asp
Tenho um que você vai entender, mais do que ninguém:
Minha saudade voltou pra sala de aula.

Um forte abraço.
Edna

Luís Gustavo disse...

professor, encontrei seu site na internet por acaso, e tenho algumas duvidas, e gostaria muito que o senhor me respondesse:

existe feminino para as palavras dragão e déspota?

e quais os femininos das patente militares? Existe marechala, tenenta, caba, majora?

Por favor me responda

agradecido

Dílson Catarino disse...

As patentes militares são representadas por palavras masculinas. Oficialmente, nenhum nome feminino é registrado no nosso idioma. Segundo os dicionários, temos de dizer "O soldado Maria".
É óbvio, porém, que nossa língua é dinâmica e que se criam palavras dia a dia. Haveremos de criar palavras para as mulheres no exército. Chegará o dia em que os dicioniários registrarão "a soldada, a cabo ("caba" não dá, né?), a sargenta, a tenente ("tenenta" é muito esquisito), a coronela, a marechala, a major ("majora"? horrível!), a generala. Algumas já existem: "marechala" e "generala" significam, respectivamente, a esposa do marechal e a esposa do general.
O feminino de dragão é dragoa, e déspota serve para ambos os gêneros.

Anônimo disse...

Professor pode parecer bobo, mas uma dúvida que eu tenho é que "se auto-intitula " é uma redundância?


Obrigado!

Luiz Melo disse...

Professor,
Gostaria de dizer sou grande admirador do seu trabalho apesar de ser novo na área do blogger. Parabéns pela iniciativa.
Minha dúvida no momento é sobre redação. Vou prestar segunda fase de alguns vestibulares e tenho grande dificuldade com relação a minha letra (minha letra é muito feia), tem um bom tempo que comecei a escrever com letra de forma/imprensa e agora tenho dificuldades de escrever no modelo "normal".
A pergunta é a seguinte: posso escrever com letra de forma nas provas de redação do vestibular?
Um forte abraço.

Desde já,
Grato.
Luiz Melo

Raffael disse...

aproveitando a deixa do comentário acima, professor, não encontrei no seu site uma forma de registrar uma pergunta, então ou fazê-la por aqui mesmo.

tenho alguns amigos e pessoas próximas que escrevem incorretamente a seguinte frase:
"isso não tem nada a ver com você".

eles costumam trocar o "a ver" pelo verbo "haver". muitas vezes eu tento corrigi-los pois tenho um tipo de condicionamento gramatical e ortográfico que não me deixa errar com frequência, mas quando chega na hora de explicar o porque do uso de um ao invés do outro eu empaco.

afinal, existe alguma justificativa que eu poderia usar?
o sr. poderia me dar um argumento para eu corrigi-los? :)

agradecido desde já,

Raffael Regis.

ps. é comum também eles escreverem "dinovo" ao invés de "de novo", não sei porque. acho isso irritante demais.

thiago disse...

oo dilsao sou seu aluno lah do tercerao tem como voce me informa uma coisa?
é que tava fazendo umas questões de vestibulares e me deparei com paralelismos num sei o que é isso...
tem como voce me da uma clareada
valeu

neide pesce disse...

Prof. Boa Noite!

Encontrei o seu blog e adicionei aos meu favoritos correndo......

Obrigada.

Neide

Anônimo disse...

Prof. Boa Noite!

Encontrei seu blog e o adicionei a minha lista de favoritos rapidamente.

Obrigada
Neide

Dílson Catarino disse...

Olá, Thiago.
Paralelismo consiste em elaborar uma seqüência de frases com estruturas gramaticais idênticas. Veja a explicação em http://vestibular.uol.com.br/pegadinhas/ult1796u63.jhtm.

Jorge Luis (Sao Luis MA) disse...

Que história escolar Sr. Dílson! Ri demais. Afinal o brasileiro sabe fazer uma coisa muito bem: ri de sua desgraçada.
Excelente blog. Adorei.

Yasser Yassine disse...

Professor Dílson Catarino infelizmente moramos em um país de 3º mundo onde o valor do professor e da educação está lá em baixo. Moro em uma cidade satélite de brasília e vejo como existem pessoas que não dão o mínimo valor à educação. Hoje que tenho 20 anos e ando estudando, vejo o tanto que você outros professores ralaram pra chegar onde chegaram, mas quando estava na minha adolescência nunca dei o devido valor aos educadores. Claro que não faltava com o respeito, mas não admirava o seu trabalho como o faço hoje em dia.

E assim caminha a humanidade.

Abraços professor!

Deia disse...

oi professor.
fiquei com uma dúvida e vim correndo pedir ajuda, se é que eu podia, lá vai, promete não rir da minha ignorância?
como eu coloco a palavra voz no diminutivo?
que regra eu uso? fiquei toda perdida e não achei em lugar nenhum.
obrigada

Dílson Catarino disse...

Para formar o diminutivo de um substantivo terminado em "z", basta-lhe acrescentar o sufixo "inho(a)". O diminutivo de "voz", então, é "vozinha".

Levanta Creuza disse...

Olá.
Entrei no seu blog sem querer enquanto tentava sanar uma dúvida de gramática.
Li seu último post que me fez lembrar de um diálogo parecido com um amigo:

- Pô, você é uma garota legal, gosto de você.
- É recíproco.
- É você!

E o meu amigo ainda saiu bravo comigo achando que tinha xingado ou algo do tipo.
Realmente conhecer mais palavras é necessário. =)

ilibado(Rodrigo) disse...

Professor, gostaria de externar a minha gratidão pelo seu trabalho de disseminação do saber, pois o mesmo é imprescindível para obter êxito na vida de um modo geral, queria aqui propalar a minha alegria de poder fazer parte da "família". Depois que comecei a Lê-lo, ou seja, tudo o que você escreveu minha gama de conhecimento aumentou muito, e os resultados começaram a aparecer; Tirei 100 na redação do ENEM 2006, dentre outros objetivos em que tive pleno êxito. Gostaria mais uma vez de preconizá-lo por fazer esse trabalho moralizador plausível.

Anônimo disse...

Olá!

Gostaria de saber qual o procedimento para que eu possa postar minhas dúvidas no gramática online?

Grato.

Anônimo disse...

Obrigada, muito obrigada pelas as suas classes gratuitas de Gramaticas via internet, estao sendo de grande ajuda para melhorar meu vocabulario.
que Deus te Abencoe,
sua fa Edemar

Anônimo disse...

Professor, por favor explique-nos qual a forma certa de escrever a seguinte sentença:
Cabe aos homens construir o futuro.
Portanto, cabe aos homens construí-lo. (ou seria construírem-lo, ou construir-lo?)

Luiz disse...

Parabéns pelo blog e site,são de grande ajuda e boas fontes de consulta.
Agora Off-Topic,pode me dizer se nesse aparagrafo:
"Então Julia insistiu para que eu usasse a ferramenta.Sempre achei essas ferramentas elétricas muito complicadas,próprias para aqueles que não querem fazer esforço físico,e quando ela me lembrou disso,percebi que talvez fossem exatamente o que eu precisava!"

O ",e quando ela me lembrou disso,"isolado por virgulas esta errado?

Raphael disse...

Professor,quando se usa Está* com acento e Esta* sem acento?
Obrigado pelo excelente site.

perolasaosporcos disse...

Isso é uma piada não é? Conheci seu blog através do site gramática on-line (muito útil aliás...) e tenho um blog de poesia e textos sem definição... agradeceria sua visita! Obrigada!

vem ka disse...

essa sua aluna no mínimo chamava-se Íris Stefanelli, né não???? hauhauhauhau
vem ka é meu nick......entendeu???

vem ka disse...

querido professor, se me vetar de novo e responder essa pergunta tão difícil de "está" e "esta", eu juro, juro mesmo q não leio mas essas gracinhas aqui...hauhauhauahau

Dílson Catarino disse...

Não é uma piada. É fato. Ocorreu no início da década de 90.

vem ka disse...

sei....

Dílson Catarino disse...

Olá, Vem Ka. "Esta" é pronome demonstrativo; indica algo que está próximo de quem fala (Esta cadeira), o tempo presente (Esta semana), algo que será apresentado (Ouça esta frase: ...), ou retoma o elemento imediatamente anterior (Encontrei a mulher; esta me disse que...). "Está" é o verbo estar na terceira pessoa do singular do presente do indicativo: "Ele está cada dia melhor".

vem ka disse...

obrigada pela explicação, mas nao fui eu q perguntei, apenas achei uma pergunta difícil, se é q me entende....

Murilo disse...

Professor tenho uma dúvida, na frase:

"Oh! Cidade Maravilhosa, do Samba, da “Rainha Ciata”e dos bambas, de tantas Áfricas a reinar."

a palavra cidade é referencia para maravilhosa, do samba etc...
Sabemos que a Cidade maravilhosa é o rio de janeiro, então na forma na qual a frase foi composta podemos considerar o Rio também cidade do samba, cidade da da “Rainha Ciata”e cidade dos bambas ????

obrigado

Luiz disse...

Parabéns pelo blog e site,são de grande ajuda e boas fontes de consulta.
Agora Off-Topic,pode me dizer se nesse aparagrafo:
"Então Julia insistiu para que eu usasse a ferramenta.Sempre achei essas ferramentas elétricas muito complicadas,próprias para aqueles que não querem fazer esforço físico,e quando ela me lembrou disso,percebi que talvez fossem exatamente o que eu precisava!"

O E em",e quando ela me lembrou disso,"isolado por virgulas esta errado?

Neto disse...

Brasil..

Elias Mãozinha (Bob Skull) disse...

Achei curioso na história da garota da sua classe, talvez eu esteja sendo "único" ao interpretar, chegando perto disto (ser único), mas acho que não entendi uma coisa, com qual palavra a tal pessoa se confundiu? Não que eu seja muito burro, mas sem cultura por também não ter conseguido interpretar o que ela interpretou da palavra animar.

Dílson Catarino disse...

Ele pensou que eu a tivesse xingado: "Sua animar(animal)!"

Anônimo disse...

Comédia!!! rsrsrs...

Anônimo disse...

Triste..
Professor, se puder me dizer, ficaria agradecido.Quando se coloca virgula antes do "ou"?
obrigado.

Anônimo disse...

Professor,"fascinamo-nos" existe esse verbo? no sentido de "nos fascinamos"

Seu blog é legal. Gostei do poema pra "teté"

Enzo Almeida disse...

Fantástico!!
Pena que só hoje conheci teu blog!!

Quero continuar aprendendo aos teus pés!!

Abraço Enzo Almeida

Anônimo disse...

Paty
Primeiramente, quero lhe agradecer por ajudar tantos brasileiros que no dia a dia queimam os neurônios quando estudam a nossa tão linda e poderosa língua portuguesa.
Professor, tenho estudado sozinha a morfologia. Gostaria de que me ajudasse a diferenciar locução adverbial de adjunto adverbial e se possível me dê exemplos. Eu sei que é engraçado perguntar-lhe isso mas é uma dúvida na qual eu tenho.
obrigada
Paty - Campinas

Dílson Catarino disse...

Paty. A diferença entre locução adverbial e adjunto adverbial é a mesma entre substantivo e sujeito: locução adverbial e substantivo são os "nomes" dos elementos; adjunto adverbial e sujeito são as funções que os termos exercem na oração. Por exemplo, na frase "À noite, todos os gatos são pardos", a locução adverbial "À noite" exerce a função sintática de adjunto adverbial de tempo, e o substantivo "gatos", a de sujeito do verbo "ser".

ana catarina disse...

Pelo amor de Deus...
Se o senhor ver esse comentário hoje ainda, me dá uma ajudinha.
Conjugue esses verbos, colocando tempo, modo e a importância deles; *dizendo, trabalhar, beber e sofria*.
Devido eu ter tirado de um texto, por isso ele está nessa condição!
Me ajuda por favor!
Um abraço, obrigadO!

Dílson Catarino disse...

Ana Catarina,
Dizendo está no gerúndio; trabalhar e beber, no infinitivo; sofria, no pretérito imperfeito do indicativo.
Importância deles? Não sei o que você quer dizer com isso. O que seria a importância deles?

daniel batista de siqueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriel Silva disse...

eu gostaria de saber o diminutivo de voz!!! nem minha mão sabe! tenho 10 anos!!!

Dílson Catarino disse...

Gabriel Silva, o diminutivo de "voz" é "vozinha" mesmo.