segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Ter Ester


Gosto de sentir sua pele
em minha pele sua boca
em minha boca seus cabelos
em meu rosto seu corpo
em meu corpo sua mente
em meu mundo seu mundo
em minha mente seu passado
em meu futuro seu futuro
em meu presente.

Gosto de ser seu presente
você é meu destino desatino
me deixa menino pequenino
quando cafuné me faz
quando suas unhas riscam
minhas costas como resposta
arrepio-me por puro prazer.

Quero fazer seu prazer
quero a seus pés me entreter
quero em você me perder
em você me prender
e me render.

Não adianta
de sua vida não saio
dentro de você desmaio
sou um raio
tênue aconchegante
sou a lua radiante
em seu céu sem fim
eu sou o fim.

6 comentários:

Deia disse...

Perfeito.
Muito lindo.
Quem dera um dia eu receber um poema como este.
Que sorte tem Ester, já começar por este lindo nome.
Muito prazer.
Lindo dia.

mila_biagio disse...

ta.. num tem nem o q comenta!!
lindo!!

Anônimo disse...

Lindo, realmente lindo!
Embora não seja para mim, por extensão, me sinto, e minha mãe também (em memória), homenageada por ter este nome.
Alegria.

Amor disse...

Maravilhoso!Parabéns pelo poema.

Anônimo disse...

É realmente muito lindo!
Adorei, queria saber fazer um assim.

Danny Boop disse...

Lindo, parabéns!
humildemente, gostaria de apresentá-lo meu blog de poesias: ser-no-tempo.blogspot.com
Abraços,
Danny boop